domingo, abril 19, 2009

TAÇA ANIMA EM DOWN-HILL - 2009 - Resultados DH#3





Mais um Domingo, mais uma prova.

Parabéns ao Chico por mais esta vitória à geral. Mais uma vez foi bem renhido.
Parabéns igualmente ao Nuno Pavão que hoje surpreendeu tudo e todos com uma prova soberba, arrecadando a sua primeira vitória em Juniores. Ao Luís Melo, que mesmo com uma bicicleta de DH a "fingir", levou de vencida o seu escalão. O Ruben Moniz deu um ar da sua graça com o 3.ª lugar à geral.

Foi uma prova muito dura por causa do estado do piso... muita, muita lama, a dificultar muito a vida aos atletas. Ainda assim isso não retira valor à versão do trilho que foi apresentada este ano. Um trabalho excelente dos irmão Pereira (e amigos... lol) que merecem sem dúvida o reconhecimento de todos.

Obrigado a todos os se disponibilizaram para ajudar a Organização: André Arruda, Igor Furnas, Hélder Teves, Gamboa (mesmo engessado) e D. Fátima.

As rápidas melhoras ao Lourenço e ao Henrique Raposo, ambos vitimas de quedas aparatosas que deixaram as suas mossas...

Fiquem bem!

11 comentários:

jormed disse...

Em relação à prova queria ainda deixar aqui um pedido de desculpa ao Ricardo Lindo pela forma como que reagi em relação à abordagem que ele teve quanto ao procedimento tomado aquando da neutralização da prova. Apesar de ele não ter razão na crítica que faz à Organização em relação às decisões tomadas aquando da neutralização para assistir os 2 atletas que se magoaram (Lourenço e Henrique), a verdade é que também não se justificou a minha reacção… estendo igualmente o pedido de desculpa a todos os que se sentiram incomodados.

Não quero arranjar desculpas, mas a verdade é que se há coisa que mais stress causa numa prova é a de ver amigos e colegas em situação de risco. Depois atrás disso vêm os atrasos e a impaciência das pessoas com as demoras extra da corrida, apesar de motivadas por motivos alheios à Organização. Digamos que foi a critica errada, na hora errada, ao que se juntou a reacção errada.

Sérgio disse...

Ninguém para o Chico...duas vitórias consecutivas! Parabéns!

Sérgio disse...

Três provas, três vitórias para o NC. A reconquista do título está cada vez mais próxima.

HATT disse...

Grande prova, desde organização, ambiente 5estrelas e não esquecendo o colégio de comissários que ficaram a dever o almoço na relote não sei aonde...
Desculpa Jorge pq tive de sair mais cedo.
Aos malucos que caíram rápidas melhoras foram quedas violentas, deu para assustar.
Agora tinha de chamar a atenção à nova fatiota do NC está bonita, não concordam?
Se arranjar uma bike para proxima prova sou capaz de fazer gosto à minha loucura as descidas LOL...
Tenho que ainda tirar as duvidas ao Jorge na descida da Gorreana, em breve envio-te os novos picos lol

melo disse...

Prova dura tanto para atletas, bikes e organização. Só quem nunca passou pela experiência de organizar algo é qu pode achar que é tudo fácil. Já estive em organizações de DH's e "damtans" e sei perfeitamente a dificuldade que existe em situações de acidentes em prova. Tomar decisões é crucial e retomar a prova em segurança é fundamental, se provoca atrasos é preciso.
Houve muita contra-informação durante a neutralização que gerou alguma confusão.
Percebo perfeitamente a insatisfação do Ricardo Lindo, mas pronto as corridas geram emoções fortes, por isso é que entramos em provas.
Parabéns aos junores, Nuno, Álvaro e João, estão umas máquinas, força.

jormed disse...

Houve de facto muita contra-informação aquando da neutralização, infelizmente pelos motivos errados. Naqueles momentos as pessoas (atletas) esquecem-se do lado humano das coisas e pensam apenas em si e nos seus desempenhos… isso entristece-me.

O Ricardo Lindo estava mal-humorado no final da prova porque no momento da largada para a sua 2.ª descida teve um problema na corrente que o obrigou a largar sem poder fazer uso dos pedais. Segundo ele, a Organização deveria ter parado o cronómetro naquele momento para ele poder reparar o problema. Ora isso é totalmente impossível e quem está há mais tempo nestas andanças sabe que não havia nada a fazer naquele momento. Esse tipo de situações são incidentes de corrida e infelizmente não há nada a fazer. Recordo por exemplo que antes da 1.ª descida do dia, o atleta Paulo Pacheco do NC/Blocoilhas, apercebeu-se de que tinha um furo e como tal não efectuou a 1.ª descida a que tinha direito. Não o vi reclamar por isso.
Apesar de compreender os motivos de frustração do Ricardo Lindo, isso não lhe dá o direito de contestar a Organização por causa do tempo que demorou a neutralização de prova. São situações completamente distintas.

Em relação à neutralização da prova, vou tentar escalonar aqui uma ordem de acontecimentos para que percebam o que aconteceu.

Às 13h41 recebi uma chamada do Rui Gamboa a dar conta de uma queda violenta do Lourenço, que obrigava à intervenção dos bombeiros (suspeita de fractura). Liguei de imediato para o David (comissário nas partidas) para interromper as largadas e ser assim feita uma neutralização da prova para prestar assistência ao atleta. Para ajudar ao stress, quando me dirigi aos bombeiros para que eles fossem assistir o Lourenço, estavam eles a tratar do Henrique Raposo que entretanto havia caído já depois de terminar a sua descida, mesmo antes da ponte. Foram momento de grande stress, pois na pista havia a suspeita de fractura e junto à ponte (na extremidade oposta da prova) estava um atleta bastante combalido a receber tratamento.
Nesses momentos que pareciam horas, recebi nova chamada a dizer que afinal o Lourenço não tinha fracturado a perna e que já estava a andar pelo seu pé. Foi um alívio. Deu tempo para os bombeiros acabarem de tratar do Henrique, mas pedi-lhes que fossem até ao local onde tinha caído o Lourenço para avaliar o seu estado.

Entretanto havia que averiguar quais os atletas que tinham largado após o Lourenço e que teriam de repetir a descida (caso o entendessem). Os comissários de chegada tinham feito esse trabalho e foi proporcionado transporte aos atletas João Machado e Luís Melo para os levar de novo à zona de largada. O Carlos Pereira foi de boleia com o Narciso até à zona de largada, enquanto que o Fernando Ferreira informou que não havia sido prejudicado com a situação do Lourenço e com tal optou por não repetir a descida.

Depois disso fui até ao local de acidente do Lourenço onde o atleta já estava a ser avaliado pelos bombeiros de serviço. Após largos minutos a dialogar com a atleta, foi decido que não seria necessário levá-lo até ao hospital, tendo o atleta sido transportado na viatura da Organização até à zona de assistências.

Os comissários foram nesse momento (14h12m) informados que estava tudo em ordem com os atletas e que os bombeiros estavam novamente operacionais. Liguei para a zona de largada para verificar se todos os atletas que iam repetir a descida estavam no local de largada e fui informado que o Carlos Pereira ainda não tinha chegado. Achei a situação muito estranha, pois apesar do Carlos ter tido um furo no final da sua 2.ª descida (já depois da prova neutralizada), ele tinha tido tempo de sobra para reparar o problema. Decidi nesse momento prolongar um pouco mais a neutralização para verificar o que se passava com o Carlos Pereira (não podia de forma nenhuma recomeçar uma prova sem saber do paradeiro de um dos atletas). Fiquei preocupado, pois passou-me pela cabeça que o Carlos poderia ter tido algum problema/queda na ligação entre a zona onde eles desciam do transporte e a zona onde estava a zona de largadas Desloquei-me da zona de assistência até à zona onde o camião deixava os atletas e não vi ninguém. Liguei novamente para o David e pedi para falar o Emanuel para tentar perceber o que se teria passado com o irmão. Estava ao telefone quando finalmente vejo o Carlos em direcção à zona de largadas. Nesse preciso momento (ás 14h30) foi dada ordem para retomar a corrida dali a 5 minutos, quer o Carlos estivesse presente ou não no minuto reservado à sua largada, pois não havia justificação para tanta demora a reparar um simples furo.

Espero ter sido claro na explicação. Eu percebo de onde veio a contra-informação que gerou o protesto. A verdade é que os atletas que estavam, na zona de largada não sabiam o que se passava. Quando lá chegaram o Luís Melo e o João Machado, ficaram todos a aguardar pelo Carlos Pereira e assumiram que a corrida não tinha recomeçado porque o Carlos não tinha chegado às largadas.

A neutralização foi numa primeira fase para assistir os atletas acidentados, numa segunda fase para garantir que estavam repostos todos os mecanismos de segurança da prova, numa terceira fase para restabelecer a nova ordem de largadas (parte administrativa) e numa quarta fase para averiguar o que se passava com o Carlos (em última análise novamente por uma questão de segurança).

A explicação é esta.
Quer gostem que não, existem decisões a tomar numa situação como a de ontem, e só gostava que de futuro houvesse mais preocupação em saber os reais motivos que geram os acontecimentos e as decisões da Organização, em vez de gerarem revoltas entre os atletas com base em contra-informação... é lamentável!

Depois de uma prova extremamente desgastante como já referiu o Melo, torna-se difícil para mim, ou para as pessoas que estão a colaborar com a Organização, estar a ouvir críticas baseadas em contra-informação e ter de aturar a má-disposição de alguns atletas pelos seus infortúnios em prova.

Luis Alves disse...

E quem está a ouvir isto tudo(organização) são pessoas amadoras, que em vez de estarem com as familias ou a fazer outra coisa qualquer que lhes apetece-se estão a organizar provas, porque gostam disto.

De realçar que estas pessoa estão aqui de forma TOTALMENTE GRATUITA, para ajudar uma causa, e não para levarem com as más disposições de alguem...

Abraços

Cidade disse...

Gostava de dar os parabéns aos vencedores de cada escalão e principalmente à organização, que ao meu ver só seguiu o regulamento em todos os sentidos, e fui um dos penalizados, mas os regulamentos sao para se comprir, e mais nada, por uns paga os outros. lol


Esta prova não foi nada facil para todos, nem mesmo para os espectadores, com aquela lama toda não era nada facil de andar por lá, lol

Para não acontecer mais problemas desses, arranjar mais uns patrocínios, para ter duas ambulâncias nas provas, lol


Abraço e até á proxima,

jormed disse...

Um abraço para ti Nuno. De facto tive muita pena que não tivesses alinhado à partida.

A solução das 2 ambulâncias era ideal, mas se já custa pagar uma, quanto mais duas... lol

RJG disse...

Cá para mim o Cidade depois de ver tantos malhos, até ficou foi contente por ter chegado atrasado e não ter entrado na prova...lol

jormed disse...

Que maldade... lolol