segunda-feira, abril 27, 2009

TAÇA ZON AÇORES - Resultados XC#4

Resultados_XC#4_Gorreana_2009 Resultados_XC#4_Gorreana_2009 Clube NC

Taça ZON Açores XC 2009 - Resultados e Classificações após XC#4 Taça ZON Açores XC 2009 - Resultados e Classificações após XC#4 Clube NC



De vez em quando inova-se. Graças à sugestão do Dj, é possível apresentar os resultados de uma forma mais interessante. Podem gravar os ficheiros no vosso PC, imprimir, fazer o que quiserem.


Fiquem bem!

10 comentários:

André disse...

Eu também sou um grande adepto da inovação, só é pena é que nesta evolução em particular os resultados da promoção tenham ficado pelo caminho! ;)

jormed disse...

Caro André... obviamente que foi um lapso.
Ao criar o PDF, não anexei o da promoção. Já está reposto (pág. 10).
As minhas desculpas.

André disse...

Está desculpado! lol ;)

Abraço e boas pedaladas.

jormed disse...

Finalmente atinei com esta "inovação"... lol
Acho que sim. Agora está aqui mais uma ferramente impecável, com um potencial enorme para divulgação de várias coisas.
Mais uma vez obrigadinho ao DjSousa pela dica ;)

Clife disse...

Esta não conhecia, é muito fixe esta inovação!

Ludovic disse...

Muito bom! (y)

DjSousa disse...

Sempre à disposição... ;)

jormed disse...

Grande dia, grande prova, grande jornada de BTT. Acho que se pode resumir assim o que vimos no fim-de-semana na Gorreana.

Mais do que o número de participantes, mais que o público que tem ido assistir às provas, os atletas são os que mais têm evoluído nesta modalidade. São cada vez melhores os andamentos a que temos vindo a assistir e a vários níveis.

Por vezes ficamos pregados a olhar para a corrida principal e para os principais protagonistas, que deixamos passar alguns pormenores não menos importantes.

Após várias hesitações e consultas de opinião, os Iniciados acabaram por fazer o difícil circuito que estava reservado para os Infantis e Juvenis. Os 4 deram o seu melhor do princípio ao fim e nota-se em cada um deles uma grande vontade em ultrapassar os obstáculos que vão surgindo prova a prova.

Nos Infantis, surgiu uma daquelas surpresas que de quando em vez batem à porta. O Telmo Rebelo, um míudo dos arredores da Gorreana, inscrito através do Ricardo Rodrigues, chegou, viu e venceu. Tomara o ciclismo e os seus clubes terem hipótese de trabalhar com esses míudos. Há tanto potencial por aí.

Uma das corridas mais emocionantes do dia foi a de Juvenis. O Rui Brilhante e o Vítor Sousa travaram entre si uma verdadeira luta de gigantes. Quem viu, diz que foi electrizante.

Em Cadetes, o Tiago e o Pedro Torres discutiram ao segundo a vitória na prova. Grande evolução dos 2.
Nos Júniores, o César a estrear-se nestas andanças, começou da melhor forma possível: com uma vitória sólida. Apesar do azar do Mark, a verdade é que os tempo obtidos pelo César permitem pelo menos pensar que o Mark teria que se esforçar ao máximo para levar de vencida o "estreante". O tempo médio por volta do César permitiria sonhar com um top 20 à geral (com uma bike claramente inferior à concorrência e sem pedais de encaixe).

Sem dúvida que a este nível (Cadetes e Juniores) o trabalho que tem vindo a ser efectuado no Clube NC começa a dar os seus frutos. Parabéns ao Luís Alves, André Arruda e Pux que estão a trabalhar com as camadas jovens... continuem assim, pois os resultados estão à vista de todos.

Entre os maiores de 18 anos, e antes de falar dos "dominadores", gostava de referir a estreia do Luís Onça: de grande nível sem dúvida. Os resultados na promoção não eram bluff... temos atleta para voos mais altos.

Para o André, Luís Almeida, e David e sobretudo ao Nuno Silva, os sinceros parabéns pelo excelente desempenho e espectáculo que proporcionaram no Domingo. Durante a prova ia tentando obter informações sobre o que se passava lá na frente. Depois olhando para os tempos por volta dos 4, pode-se dizer que foi mesmo impressionante. Assim vale a pena ir ver provas de BTT!

Quanto ao circuito da Gorreana... estava simplesmente formidável. Excelente piso, descida muito rápida... dava para curtir à brava.
Se é ou não a prova rainha (como dizia o Ludo), é uma questão de opinião. Para mim, a Batalha é um circuito mais completo, mas tanto a Gorreana como a Lagoa do Carvão são também excelentes circuitos e com as condições climatéricas de Domingo passado, ficam ainda melhores.

Em termos de títulos nas diferentes categorias, está tudo praticamente definido. Salvo algum azar, Rui Costa, David Morais e Paulo Rebelo têm todas as condições para triunfar. O Álvaro já é campeão e pode já pensar no Nacional. Em Cadetes é que a coisa está a ferver... lol
Por equipas também não há muito mais a dizer. Basta ao NC pontuar na próxima prova para vencer pelo 4.º ano consecutivo esta competição.

No arranque da prova, com as ausências da Ana Raposo (Elites femininas) e do Igor Furnas (Sub-23), a coisa parecia negra para o NC, pois via fugir 2 vitórias garantidas á partida. Mas os mais novos decidiram brilhar e acabaram por decidir o triunfo nesta 4.ª prova.

Por fim uma referência às Elites. São já uma presença obrigatória e é já difícil imaginar uma prova sem um pódio feminino no final. Dão outra "classe" a estas competições... lol

Na promoção, o Vicente Arruda brincou com aquilo. Deu-se aoluxo de fazer partes da descida com a roda da frente no ar. Grande potencial que ali vai...

Enfim... chega-te Lagoa do Carvão. É ver a malta a treinar aquela descida a partir de agora... lol

Kadete disse...

Os tempos são verdadeiramente impressionantes para os gajos da frente, já não são apenas amadores ou semi-prof. mas autênticos profissionais! N se trata apenas no tempo disponível para se dedicarem à modalidade, mas a grande vantagem reside fundamentalmente no facto de terem a cabeça limpa e arejada que lhes permite descansar como deve ser e recuperar, pois continuo a achar que o mais difícil não é cumprir um plano de treinos (subidas de n sei qtos, rolar n sei quê, etc, isso toda a gente pode, bem ou mal) mas gerir o tempo de descanso! E pelo andar da carruagem vai haver evoluções significativas no decorrer das provas de estrada.
Mas n são apenas os profissionais q estão a andar bem, o pessoal do meio da tabela tb tem subido. O Luís onça fez uma magnífica prestação e promete melhores desempenhos.
Nos velhotes foi pena a falha mecânica do Antero, podia dar um despique interessante, mas quem ficou a perder foi o velhadas do Furnas que podia obter um excelente resultado pq eu tb n estava na melhor forma nem vou estar na prova de resistência, por isso vou optar por fazer um “treino livre” com a minha GT (enduro) ao longo das 4 horas. Desta vez n vou levar os elásticos, mas quem sabe, talvez um cozido viesse a calhar…
Quero apenas agradecer ao Carreiro por me ter disponibilizado a famosa epic para a prova uma vez que o quadro da KTM ainda n chegou. Aliás, já é o segundo quadro. O primeiro, cá por mim, já tinha sofrido os “forcings” do André, e o segundo cedeu logo no arranque da Batalha. Trata-se de um defeito de fabrico e, por isso, espero que o próximo modelo de 2009 n traga esse defeito. Para todos os efeitos estou satisfeito com a bicicleta mas nada se compara com aquela suspensão da epic. Já se falou muito sobre esta máquina e pouco ou nada há pra acrescentar. É uma verdadeira máquina de guerra, reage ao mínimo toque, não cede nada a subir, apenas o necessário para estabilizar o quadro sempre ao mesmo nível do chão enquanto a roda sobe e desce à medida que vai desbravando os desníveis. Não há perdas de energias na transmissão desde o pé até à roda traseira. A transmissão é total, seja a pedalar em pé ou sentado.
Mas é a descer que ele revela todas as suas capacidades. Só na descida da Gorreana ganhei 17 segundos em comparação com a Giante (rígida) e desci tudo com a suspensão da frente bloqueda (por esquecimento – drop e tudo!) mas foi a minha descida mais rápida onde bati os 50.5k/h (mesmo assim longe dos 56 k/h de alguns malucos das velocidades, lol).
Mas foi na Batalha que eu pude comparar os andamentos com a ktm. No início da subida estranhei a bicicleta, desci muito tenso e n a deixava rolar. Cheguei a meio e voltei para trás para começar de novo. Precisava apenas de me ambientar ao piso q está super seco e rápido e o pneu traseiro n era o melhor prá descida. Mesmo assim, mal comecei a ganhar velocidade senti a bicicleta cada vez mais segura, solta e estável, o q me levou a largar cada vez mais travão. É por isso q é uma bicicleta perigosa, quer descer cada vez mais depressa. Mas a principal diferença notou-se ao fazer determinados obstáculos em que normalmente tinha alguma dificuldade e raramente acertava à primeira devido à inclinação acentuada e perda de aderência na roda de trás, mas ali, pura e simplesmente desapareceram! Quando, por exemplo, estava à espera do ressalto da roda traseira para prepara um gancho, esse ressalto n aconteceu e a bicicleta rolou e inclinou a uma velocidade incrível quase sem travar, apenas um cheirinho na traseira para a colocar na posição certa. Finalmente desci em direcção à costa Norte pelo estradão que passa pela antena militar, e aí, sem dar por isso e já quase de noite, mandei-me prós 60s. Se me tivesse aplicado dava 68 à vontade lol. É uma máquina que dá uma grande confiança e segurança em qualquer piso, e uma eficácia indiscutível nas subidas.
É uma verdadeira arma de guerra feita prá competição e só tenho pena de n ter uma em casa.
Boa prova a todos para Domingo.

jormed disse...

A Epic é uma máquina fantástica. Se já gostava da de 2007, desta de 2009 nem se fala.
É de uma eficácia desconcertante...
Só tenho pena deste ano não estar minimamente à altura do que aquela máquina merece.
Ainda assim, mesmo estando uns furos abaixo em relação a 2008, na Gorreana consegui fazer tempos semelhantes a 2008 na subida e na descida o comportamento da máquina era irrepreensível. No drop, numa das descidas, pedalei quase até à recepção e aqueles amortecedores não vacilaram mesmo nada, trasmitindo uma segurança incrivel.

Tou curioso para ver como se comporta no carvão ;)