segunda-feira, março 16, 2009

TAÇA ZON AÇORES - Tempos por volta


A justificação da demora na publicação dos resultados. Já sabemos de cor e salteado os dorsais de cada atleta :=)

Fiquem bem!

P.S. - Tive de "dividir" a tabela para se conseguir ler decentemente a infomação que lá está depois de ampliar as imagens.

16 comentários:

Alvaro Camara disse...

Esta deve ter sido ate ficar com os olhos em bico :S

Luis Almeida disse...

Para alem de dar os parabens aos atletas, temos antes de mais dar os parabens sinceros a quem consegue com o rigor e dedicação todo este trabalho.

Mais uma vez PARABENS...

Deve ter sido uma prova fantástica...

Luis

Paulo Almeida disse...

Parabéns à organização, mais uma vez esteve muito bem.
Parabéns a todos os atletas pelos resultados obtidos.
Foi de facto um dia bem passado e "cansado".

Paulo

Igor Furnas disse...

Jorge agora com a tabela dividida ficou bastante melhor! Obrigado :D

Kadete disse...

Esta foi a melhor prova de "estrada" que já se fez nos Açores, só q, em bikes de btt! Digo isto pq todas as provas de estrada (q continua a ser a minha modalidade preferida apesar de n dar meia prá caixa) acabam com subidas a partir o grupo aos bocadinhos, onde os costaneiras e trepadores de gema são os q tiram mais proveito destes percursos acidentados, porq é kuase impossível fazer uma prova só pra rolar por estas bandas. Por isso foi com bastante interesse q participei nesta prova embora as expectativas n fossem das melhores depois de passar o fim-de-semana a fazer amarrações com elásticos e consultas de última hora no manual do Tratado Internacional de Pneus de XC, para fazer a melhor opção!
Adivinhava-se um sofrimento desgraçado ao longo da prova e só esperava q o vento n me desse cabo da táctica, pois uma rajada a mais pode arrebentar com os elásticos todos de uma só vez!
Acabei por fazer uma prova táctica e foi isso q me permitiu aguentar até ao fim no grupo da frente, ou seja, falando bem o português, andei na “mama” o tempo todo LOL!
O eskema era simples: dar o litro na primeira volta para passara na meta entre os primeiros; isto era fundamental para não perder o comboio. Depois, aguentar o percurso todo na roda da locomotiva e resistir à tentação de n cometer a loucura de ir puxar pelo grupo mesmo q fosse por pouco tempo e mesmo q me sentisse muito bem (a prova tinha 10 voltas e eu estava a lutar para n arrebentar com o elástico). Finalmente, o mais importante, antes de entrar no sigle treck dar o litro na rampa para subir entre os primeiros e não perder muito tempo até à meta, pois aqueles q entravam no fim do grupo tinha q recuperar a distância q perdiam q podia ir até mais de 50 metros na zona da meta e isso podia ser o fim, ou, podia exigir um esforço suplementar cuja factura iria ser paga antes do fim da prova. Aliás, foi isso q aconteceu a muita gente e foi isso q aconteceu com o Viveiros na 7ª volta, ele já tinha entrado em último nas três voltas anteriores e não resistiu na quarta volta seguida. E foi o q aconteceu com o Amaral, o Álvaro e o Bartolomeu na 4ª e 5ª volta.
O grupo da frente portou-se lindamente, arrastaram-me o tempo todo, não apertaram muito na parte mais adversa, contra o vento, pq também ninguém se queria cansar muito, e não deixaram os atrasados colar ao grupo. E foi assim até ao fim, pois, nada iria mudar até à ultima volta, onde se iria decidir o primeiro lugar entre o David e o André, ao sprint, claro, no ponto determinante mesmo antes da rampa como era de prever, excepto alguém que sabia q as coisas podiam mudar de rumo mesmo até ao gancho antes da meta…
Esta prova pra mim foi um livro aberto de Xc em cima do guiador durante quase duas horas seguidas. Pese embora o percurso fosse muito fraco em termos técnico, o simples facto de rodar com os melhores deu-me a oportunidade única de ver os craques no seu melhor nível na melhor bancada do percurso q alguém podia escolher, ou seja, mesmo na roda deles o tempo todo! Isto n tem nada a ver com as fotografias ou filmagens, isto tem a ver como eles curvam, rolam, desviam-se e contornam os obstáculos, atacam as curvas, equilibram a bicicleta, por vezes a velocidades impressionantes, etc, com uma facilidade incrível, enquanto eu sentia a bicicleta a resvalar e a saltar prós lados, quase descontrolada, a ultrapassar os limites, para poder acompanhar o ritmo q eles impunham! Um exemplo claro disso, e só para poderem imaginar o filme, foi na 2ª volta em q entrei no sigle treck mesmo atrás do David como André na frente, eles fizeram aquilo a uma velocidade do caneco sem pararem de pedalar, aliás, eles sprintavam, enquanto eu fazia o meu melhor, quase q me despistei por três vezes, e no fim do trilho a roda da frente saltou pra cima e a detrás bateu no rebordo esquerdo do trilho, levantou toda para o lado contrário e fiz uma aterragem digna de um piloto de caça da marinha americana. Mesmo assim o David já levava mais de 20 metros de avanço!
Na curva da lagoa quase q ia ver os peixinhos. O agoiro do André n se realizou por um triz, lol, ainda por cima n levava a bóia! Entrei no “S” à frente do grupo e perdi completamente a noção da velocidade. Tive q fazer uma travagem de recurso, ou seja, travões a fundo! A roda de trás derrapou e saltou, mas não foi o suficiente. Esta parte é a q se vê no vídeo do Carreiro, o melhor n foi filmado mas ficaram lá as marcas um pouco mais à frente como podem ver no filme. Nessa altura pensei Vou cair! Entretanto houve um gajo q disse: “Olha o capacete!” e eu fiquei a pensar no capacete e larguei o travão e aguentei a bici. Mas logo a seguir tive q travar a fundo com a roda da frente para evitar o capotanço contra a parede q já estava garantido, e a bicicleta atravessou-se toda de lado. Aí eu voltei a pensar: “vou cair outra vez”. Nesse momento o gajo do capacete volta a gritar: “Olha o capacete!!”, e eu fiquei a pensar “q raio tem o meu capacete?”. Entretanto, e sem saber como, endireitei novamente a bicicleta e entrei na segunda curva q dá prá lagoa, aí tive q derrapara outra vez mas já tinha tudo controlado. UHFAA! Se n fosse o gajo do capacete tava tramado. N sei quem é mas n me importo nada de lhe emprestar o meu capacete se ele fizer questão, ou então, ofereço-lhe uma imperial bem merecida num sítio qualquer!
Uma situação hilariante deu-se já nas últimas voltas e poucos ou ninguém testemunhou o facto: íamos a rolar qd de repente o Davidteam Lokomotif FC, ou Micaelenseteam Sport FC Zone ou o que quer que seja (Qd era apenas PH Clinic era mais simples!), estagnou por completo o ritmo. Tínhamos acabado de dobrar ou triplicar uma gaijta ou gajito q andava prá li perdido no terreno, e eu aproveitei logo para lubrificar os elásticos. Parecíamos uns domingueiros unidos, à espera da brigada do reumático, em pleno passeio de ressaca a gozar a magnífica e imponente paisagem da lagoa das 7 cidades, embora ninguém olhasse sequer para um charco dágua. Estávamos para ali a pastar, olhávamos de vez em quando pra trás a ver se o 2º grupo n aparecia ali, qd de repente o “duplicado” passou por mim, pelo Rui, e assim por diante até passar toda a gente. Nessa altura alguém meteu a roda atrás dele e toda a gente foi juntando a roda até ficarmos todos enfileirados no gaijito/a. E ele a pedalar em grande contra o vento e o pessoal todo na mama!! Ganda vergonha!!! Até que o David se fartou da brincadeira e arrancou com a locomotiva antes q alguém tirasse uma foto!
É claro q às páginas tantas os gajos do Locomotif pediram-me para ir prá frente puxar um bocadinho, mais concretamente o nosso amigo Bruno q devia estar com receio q eu me estivesse a poupar para uma surpresa no final, (he, hé…). Mas eu disse-lhe logo: QUÊ? Os kadetes estão à espera q o velhadas vá praí puxar pela carroça? Era o q falta! Vai tu!! Lol…
Bom, e finalmente o prato do dia: o sprint do André! A grande desvantagem de participar nestes eventos é precisamente a de n podermos assistir ao melhor das provas, pois andamos sempre a arrastarmo-nos na cauda e nunca vimos nada de jeito. Mas desta vez n foi o caso. O Jorge já me tinha falado nos sprints do André, mas assistir ao “vivo” n tem nada a ver. Parecia o Chavanel no outro dia. Eu n sabia qd é q o André iria partir. Se tivesse o apoio do Jorge podiam arriscar um sprint mais longo lançado pelo Jorge na tentativa de surpreender o David antes da rampa. Para evitar surpresas o David impôs um ritmo forte nos últimos 100/150 metros e aumentou o ritmo nos últimos metros antes da rampa. Foi nesse instante q o André arrancou por detrás de mim q nem uma bisga, passou o resto do grupo num instante e entrou na rampa com o David q n se deixou surpreender. Ainda pensei apanhar uma pequena boleia do André para me aproximar do Bruno, mas qual quê, nesse momento já o André estava a meio da rampa, todo encostado por dentro pela parte mais inclinada a ombrear com o David que seguia a todo vapor; sem querer exagerar, ele devia marcar uma cadência de 130 ou mais na roda grande! Foi uma coisa digna de se ver!! Foram tão rápidos q eu nem percebi quem levou a melhor, mas o André estava em condições de ganhar a melhor a trajectória para ficar á frente e foi isso q aconteceu. O resto foi aquilo que se viu, o David puxou da cartola na última curva quando mais ninguém no mundo acreditava q fosse possível fazer o q ele fez e a quem o fez!
Foi uma vitória merecida porque foi o homem que mais puxou e deu a cara ao vento.
Grande prova, e os meus parabéns a todos, especialmente à Locomotif Team pela vitória em equipas. Melhoras ao Pux e Jorge.
Só para terminar, a organização esteve excelente, foi interessante ver o Jorge de colete salva-vidas agarrado a uma bandeirola! Parecias mesmo um fiscal de linha ou juiz auxiliar, ou lá o q é; fica-te bem essa tua nova actividade e não precisas de perder tanto tempo com treinos lol.
O clima desta vez foi porreiríssimo. Já parecia uma prova no continente. É certo q nas próximas provas n vai haver uma afluência de atletas como ontem, mas, se calhar, temos mais público, se o tempo deixar. Mas não tenho dúvidas q no próximo ano vai haver mais participantes nesta prova e nas outras pq isto é o resultado de um trabalho muito árduo de certas pessoas que permitiram que isto se realizasse, agora é deixar andar e n estragar o q está feito, pq o mais difícil já passou.
Para o ano os vencedores irão estar presentes para revalidarem os resultados, os vencidos irão estar motivados para lutar pela desforra, e aqueles q vieram participar apenas por participar também cá estarão porque não vão encontrar melhor ambiente do que este em lado nenhum dos Açores!
Boas pedaladas.

Tiago Martins disse...

Palavras para quê?
Está tudo dito e contado ao pormenor por quem viveu ao lado do grupo principal, ou melhor do grupo da frente.

Como já havia dito grande prova do Kadete! Pela memória descritiva que tem da prova diria que esta ficará para mais tarde recordar!

Merecidamente.

Alvaro Camara disse...

Uma descrição da prova dificil de superar...grande kadete!
Parabéns pelo teu excelente resultado e tb a todos os vencedores e vencidos. ;)

Voltando à prova apenas posso acrescentar pequenos detalhes...

Antes de ir correr tive a assistir à prova da promoção onde confirmei a táctica a adoptar (não perder o grupo por causa do vento e na subida da península; ser dos primeiros a entrar no single trak)
O momento quando perdi o "comboio": Apenas uma pequena correçao ao Paulo Rebelo...eu perdi o grupo não foi por causa do single trak porque até fui o quinto a entrar lá no decorrer da quarta volta, o momento fatal foi quando fui abastecer no final da mesma, a zona de assistencia estava numa zona muito complicada o que nos fazia perder muito tempo, no meu caso o suficiente para perder o grupo e depois cai na armadilha do vento.
Felizmente nao fiquei sozinho o Joao Paulo Amaral ficou comigo e o resto da prova foi "estrada" simplesmente. Estivemos os dois a trabalhar bem (bom entendimento) nao perdemos tempo para quem vinha atrás de nós e conseguimos ir apanhando alguns que se iam deixando ficar para trás. Na última volta o começamos a ver o José Viveiros, eu queria ir buscá-lo mas sozinho não conheceguia com aquele vento a dar de frente e o João Paulo Amaral também deixou de colaborar (percebeu o que eu queria...a camisola do Santa Clara falou mais alto loool)
Então desisti do José V. e poupei-me o máximo possível para a subida da península e ser o primeiro dos dois a entrar no single trak. Felizmente foi o que aconteceu e terminei à frente do João P. Amaral.
Durante este momento crucial dobra-mos com o Rui Dias na entrada para o single trak, eu ainda estava a fazer a curva apertada de 90º da àrvore à esquerda, o Rui D. ia a subir o "monte" pequeno e eu já ia a gritar para ele me deixar passar looool
Desculpa Rui não foi por mal apenas queria chegar à meta o mais rápido possível ;)

Para finalizar concordo com esta proposta de horários para as próximas provas de XC.
Concegue dormir/relaxar mais um pouco de manhã e controlar melhor a alimentação.

Luis Almeida disse...

Não há palavras para descrever este "Kadete", porra está lá tudo com vírgulas e pontos...

Para quem vai no elástico e tem tempo e oxigénio para armazenar esta memória descritiva…vai lá vai.

Só custa lá andar (na frente) uma vez, depois é como andar de bicicleta…lol

Parabéns, amigo.

jormed disse...

Eh Paulo... só mesmo tu para descrever uma prova dessa forma... lol
Uns hamburgeres sebosos vão ajudar-te a recuperar do esforço...

A zona de assistência ficou muito mal colocada. A todos os que foram penalizados por isso, as sinceras desculpas. Eu sei o que custa tentar recuperar aqueles preciosos segundos que se perdem indevidamente. Essa situação não se voltará a repetir ;)

Ainda em relação à descrição do Paulo. Se me custou a ficar ali sentado a ver a banda passar, pior fiquei depois dos sentimentos que ele transmite no texto. Tás proibido de comentar as provas onde eu não possa participar!!!

Abraço.

MOTARTE disse...

Este pessoal da frente não se fica pelos pedais...

Estou aqui deliciado a ler estes verdadeiros manuais de competição em XC...

Magníficos relatos, bem hajam! ;)

jormed disse...

Queria deixar uma mensagem de incentivo ao Rui Dias. Para além de ele ter estado completamente parado nas semanas que antecederam a prova, foi vitima de um furo mesmo no final que lhe custou aquele tempo fabuloso acima dos 30 minutos numa volta... e com isso ter ficado a 2 voltas do vencedor... melhores dias virão.

O regresso do Davide Pinto também não pode passar despercebido. Aquele BUUUMMM nas 2 voltas finais são sinal da falta de habituação ao clima açoriano... lol

Outro pormenor que me chamou a atenção foi uma Epic Marathon com um FOX 100X à frente... belas recordações ;) Trata bem dela Ricardo. Esse Fox faz milagres, tens é de ter confiança... lol

Ricardo Carneiro disse...

lolol... pensava que não tinhas reparado. Estava para comentar contigo mas escapou-me. Vou cuidar bem dela e espero que a tenhas ensinado bem para as provas que se avizinha.

Abraço grande e as rápidas melhoras!

jormed disse...

Esses amortecedores reconhecem cada centímetro das descidas das provas que se avizinham.

No circuito da Batalha o mapeamento topográfico a 3D da superfície está feito e podes ter acesso a excertos da forma como foi feito esse mapeamento acedendo ao blog Trilhos de Lava (arquivo - Março de 2008)

Abraço!

MOTARTE disse...

Caro Kadete,

Presumo que tenho uma imagem sua no tal momento do descontrole, num post sobre algumas curiosidades da prova no meu blogue... ;)

Ludovic disse...

Parabéns ppl. Foi uma prova excelente, apesar do meu mau desempenho :P, foi grande festa desde os mais pequenos, aos graudos. Salientar o Cadete e Mister 2009(Excelente Paulo! Parabéns!), também o Mister 2008(Davide Pinto), que tive o prazer de rodar penso que duas voltas com ele, e apreciar a Canyon a trabalhar nas irregularidades, toda a equipa do Santa Clara, desde os "pequenotes" Rui Brilhante e o André valente até aos graudos Cadete, Rui Costa, Viveiros, Amaral, não esquecendo as estreias, o João Arruda, Ana Rita Almeida e o Davide Pinto(já "louça da casa"), também o Ricardo a melhorar bastante a forma fisica e a conseguir usar a muita experiência que já leva de corridas, o "Brilhante" Diogo Brilhante nos cadetes, os DH's Emanuel e Carlos Pereira (...a equipa já é grande e posso ter-me esquecido de alguém...). A todos os outros também, os meus Parabéns, e que tenham aproveitado ao máximo para se divertirem, que foi o que fiz de melhor no domingo. Temos já um pelotão já muito engraçado onde a festa das cores das camisolas já sobressai bem. Gostei muito mesmo de ver as "manchas vermelhas" ao longo de toda a prova.
A organização, nada a dizer, apenas dar os Parabéns por mais uma excelente festa que proporcionou a todos os que tiveram o prazer de participarem na prova.
Os meus Parabens ao Davide Morais, por mais uma vitória. A prova era um circuito no qual o Davide adapta-se muito bem, e onde soube trazer ao de cima toda a sua já longa experiência em competições.
...O Filipe Sousa também o acompanhei de inicio, umas 3 voltas(andei na roda), e ia vendo-o dar um mergulho à Lagoa...foi o melhor momento da prova(que eu assisti). Foi lindo (Feel It...LOL).


Abraço

Kadete disse...

Grande prova Álvaro, mas abastecer numa prova destas era proibitivo! Era ficar sequinho até ao fim…