terça-feira, abril 11, 2006

As Bikes nas Guerras

Como os temas da actualidade, no bicklas, têm dado muito ke falar, lembrei-me de postar algo diferente a título de curiosidade. E, kem sabe, até, se não enriquecemos a nossa cultura ciclística, tendo em atenção que a bicicleta, tem uma grande história e também cumpriu serviço militar....
Em quase todas as imagems ke vemos do Afeganistão e do Iraque, lá estão elas: as bicicletas. Meio de transporte barato, prático, ke não requer combustível nem água, as bicicletas têm seu lugar garantido nas regiões inóspitas da Ásia central. Não é à toa ke muitos ciclistas a chama pelo apelido carinhoso de "camelo", com a vantagem que não bebe água e não precisa de comida, só umas gotinhas de óleo de vez em quando. Muito provavelmente a bike da foto ao lado foi fabricada na cidade de Ludhiana, no estado indiano do Punjab. Não consegui saber ao certo apesar de muita leitura a granel. A grande maioria das bikes usadas nakela região são réplicas perfeitas das antigas bicicletas inglesas Raleigh e das Phillips, aro 28", com travão através de varão, farol a dínamo, guarda-lamas, bagageira com porta pacotes e tudo o mais.
Na Segunda Guerra Mundial elas tiveram papel importante no exército francês, alemão, holandês, inglês e japonês, entre outros. Na guerra do Vietname as bicicletas foram largamente utilizadas no trilho Ho Chi Ming para fazer o abastecimento dos soldados do norte. Munições e pesadas peças de artilharia eram transportados em bicicletas pelo meio da selva tropical.
E, meus amigos... nós, só falamos disto, dakilo e dakele-outro...Já referi aki várias vezes ke o biklas serve para isso mesmo! Criticar, brincar, por em causa e discutir os assuntos. Mas não nos podemos deixar levar por palvras mais ou menos azedas, más interpretações e porque este ou aquele escreveram isto ou aquilo....
Pensemos tb nas nossas bikes. Tal como na guerra se não fossem elas os desgraçados dos militares andavam a pé...e também, o Biclas, não tinha razão de existir ....já disse e pronto!!!
Como alguém já escreveu...."só lê kem ker".....Abraços!!!

8 comentários:

sóBIKE disse...

ehehehehehehehehehehheheheheheheheheheheheheheheheheheeheheheheheheehehheeheheheheheheheheheheehehehehehehheheeheheheheheheheheheheehehehehehheehehehehehheheeheheheheheheheheh

André Arruda disse...

E ora ai está o exemplo de um post que além de informativo impossibilita as más interpretações =)
Muito interessante sabermos quais os outros contributos das Biclas para o homem além do desporto e do lazer. Venham mais como este ;) Abraços.

Ludovic disse...

Sim senhor. Cultura geral tb é mto importante! Realmente este post relembra-me q seria interessante começarmos por exemplo a deslocarmos para o trabalho de bike...axo q alguns utilizadores do biklas já o fazem. A bicicleta como meio de transporte... mais ciclo vias para as ilhas, entre outros temas...

rui madruga disse...

sim senhor escrever é contigo, mas não é preciso ir para tão longe para fazer historia de bikes, não nos esquecemos que os nossos pais e avós andavam muito de bike no seu dia a dia tenho fotos de meu avô com a sua Raleigh toudo cheio de mania como se teve-se um Ferrari o meu pai fazia ao fim-de-semana 30km para cada lado para ir namorar com a minha mãe.E eu aprendi a andar de bike numa Orbita de cassete 18 atrás e não sei quantos afrente que andava que metia medo e pesava praí 20Kg.Isto para dizer que á muita historia recente entre nós de bikes, agora não sei o que se passou ou se meteu na cabeça de muita gente para diecharem de lado as nossas paixões.Houve uma altura que decidi ir para o trabalho de bike e o meu chefe disse-me um dia, que dava mau aspecto ir para o serviço de bicicleta.Vamos lá andar num pais em que existe directores com esta mentalidade.Já me alarguei de mais.

survivor disse...

Epá, oh Madruga o teu chefe, deve ter durante a noite a cabeça metida num PENICO para acordar com esse tipo de atitudes...é como outros ke têm falta de cordialidade, mesmo quando não conhem as outras pessoas devem respeita-las...o PENICO pode servir a qualker um....

Neowex disse...

Realmente este post apenas vem mostar as diferentes interpretações que todos nós temos em relação a determinado post!
Nunca pensei que as bikes tivessem sido utéis na guerra como foram.
São chefes como o do Rui Madruga que fazem com que haja uma má gestão no nosso país, e fazem também com que este fique na cauda da Europa. Ao menos numa coisa somos dos melhores, os melhores dos últimos, o que já não é assim tão mau.
É a vida...

jormed disse...

A sapiência de V. Excia é infinita.. lol
Boa Survivor! Gostei muito do post...

Quanto ao pai do Madruga, aquilo é que era amor... ou desculpa para treinar mais um pouco! Lol
A do patrão não merece comentários!!

Meu pai também teve uma raleigh... custou-lhe 8 contos na altura.. um balúrdio. Apesar do tamanho era relativamente leve.
Tinha apenas 3 mudanças... a mais pesada acho que avançava para ai uns 15 ou 20 metros por pedalada, ainda por cima com roda 28''... era um espanto. Acho que as de estrada actuais não desenvolvem tanto mesmo em 53-12...
Os travões através de varão eram demais...
hii... as coisas que me fizeste lembrar...

Palmadas disse...

Boa tarde biclodependentes.
De facto o Survivor lançou aqui um tema interessante: a história da bike.
De facto, mesmo sem nos reportarmos a grandes acontecimentos q marcaram a nossa história como foram as grandes guerras, verificamos q a bike faz parte da história de cada um de nós. Qualquer criança logo a seguir à mama materna e à xuxa capitalista, pede uma bike, ou pelo menos o seu instrumento de tirocínio, o triciclo.
Eu comecei entre o triciclo e os carros de esferas, nos quais me senti encartado e habilitado para adquirir a minha primeira bike, oferecida pelos meus pais num longinquo Natal. Não me lembro da marca, mas lembro-me q a gozei pouco pq foi roubada por algum maluco das freguesias limitrofes.
A partir daí nunca mais recuperei...
Um grande abraço para todos
Feliz Páscoa